domingo, 12 de abril de 2009


E lá vai ela, atravessando a rua, perdida, procurando o outro lado da calçada que parece não chegar, assim como o seu desespero que parece não cessar. Do nada um buraco imenso se abriu no chão, ela caiu, afundou, e está cada vez mais difícil sair. É assim que ela se sente, não sabe se por remorso, por culpa, ou por simplesmente não saber. Não saber o que iria acontecer ao reencontrá-lo, não saber se ele iri a rejeitá-la, ou quem sabe "que bom que você voltou, senti muito sua falta". Mas agora, hoje, ela não sabe. E é assim, perdida em seus próprios pensamentos que ela continua caminhando, tentando seguir, sem muita vontade ou forças.

2 comentários:

Luan disse...

Dona Amada ♥

Hosana Lemos disse...

caramba, adorei teu blog...as imagens, a harmonia das cores...o textos,diretos e sinceros!
^^

Postar um comentário